eleições americanas

  • Eleições Americanas

    A eleição norte-americana é, invariavelmente, o evento político mais aguardado
    e acompanhado do planeta, tanto por sua relevância, quanto seus impactos em diversas
    frentes. Por essa razão, decidimos construir um compilado explicando o funcionamento
    do pleito, assim como, as principais ideias dos candidatos em temas diversos, sem realizar
    juízo de valor. A ideia aqui é discorrer sobre um assunto complexo de forma simples.

    Como funciona?

    Para se candidatar à Presidência nos Estados Unidos é preciso ter mais de 35 anos de idade,
    ser nascido nos EUA e viver lá por ao menos 14 anos.

    Os EUA possuem aproximadamente 330 milhões de habitantes. Como o voto não
    é obrigatório, somente 129 milhões de pessoas se registraram para votar na última eleição.
    As eleições geralmente ocorrem no mês de novembro, sendo que para esse ano estão
    programadas para iniciar no dia 03.

    Eleições Primárias

    Primeiro os eleitores escolhem os candidatos à Presidência de cada partido. Existem
    diversos nos EUA. Porém, dois elegem mais presidentes, são eles: O Democratas (Azuis)
    e os Republicanos (Vermelhos).

    Existem dois tipos de eleições primárias, as abertas e fechadas. Nos dois principais partidos,
    (Democrata e Republicano), existem dois mecanismos que são utilizados: primárias
    e caucus. As primárias constituem eleições onde os eleitores votam em “delegados
    compromissados”, ou seja, pessoas que se comprometem a votar em determinado
    pré-candidato. No caucus as pessoas se reúnem (em casas, escolas, bibliotecas, igrejas etc)
    e debatem quem é o melhor pré-candidato para defender suas ideais e escolhem delegados
    de bairro que se alinham com o pré-candidato de sua preferência.

    As prévias começam bem antes das eleições e o candidato escolhido é confirmado
    nas Convenções Partidárias.

    Colégios Eleitorais
    Como destacado acima, nos Estados Unidos, o povo não vota diretamente em seu
    candidato à Presidência da República. A população decide quem vai escolher o seu líder,
    os chamados delegados.

    Relativo ao número de habitantes há um número de delegados em cada estado. Sendo
    assim, quanto mais populoso, maior o número de delegados. Dessa maneira, é constituído
    o Colégio Eleitoral estadual, que deve ter, no mínimo, três delegados. Foi a Constituição,
    em 1787, que instituiu a autonomia dos Estados. Cada um dos 50 existentes nos EUA decide
    como escolherá seus delegados (se os eleitores devem ser filiados ou não aos partidos,
    por exemplo).

    Ao todo, existem 538 delegados que fazem parte do Colégio Eleitoral. Vence o pleito o
    candidato que somar 50% mais 1 dos votos dos delegados (271). Por mais que o candidato
    receba votos populares, o mais importante é ter votos desse Colégio.

    Na grande maioria das vezes, o Colégio Eleitoral segue a tendência da população.
    Porém, por cinco vezes², os delegados optaram por um candidato não escolhido pelo voto
    popular. O Estado com o maior número de delegados é a Califórnia, que possui 40 milhões
    de habitantes e 55 delegados. A vitória na Califórnia representa conquistar 10% dos votos
    de todos os delegados do país.

    Notas

    ¹ Caucuses são reuniões privadas dirigidas por partidos políticos. Eles são mantidos em nível
    de condado, distrito ou nacional. Na maioria, os participantes se dividem em grupos de
    acordo com o candidato que apoiam. Os eleitores indecisos formam seu próprio grupo.
    Cada grupo faz discursos de apoio ao candidato e tenta fazer com que outros se juntem
    ao seu grupo. No final, o número de eleitores em cada grupo determina quantos delegados
    cada candidato ganhou.

    ² É possível ganhar o Colégio Eleitoral, mas perder o voto popular. Isso aconteceu em 2016,
    em 2000 e três vezes em 1800. Donald Trump venceu Hillary Clinton perdendo no voto
    popular, 62,9 milhões vs 65,8 milhões de votos, respectivamente.

    ³ https://amers1.apps.cp.thomsonreuters.com/web/apps/newsservices/mediaProxy?apiKey=24afa7d8-4c90-4700-8b2e-b5b1ce7d5b16&url=https%3A%2F%2Fgraphics.reuters.com%2FUSA-ELECTION%2FPOLICY%2Fjznvnzmdnvl%2Findex.html

    4 https://edition.cnn.com/2018/08/13/politics/omarosa-white-house-diversity/index.html

    Referências Bibliográficas

    https://www.usa.gov/election

    https://promiseskept.com/

    https://joebiden.com/

    https://www.bbc.com/portuguese/internacional-37902090

    https://amers1.apps.cp.thomsonreuters.com/web/apps/newsservices/mediaProxy?apiKey=24afa7d8-4c90-4700-8b2e-b5b1ce7d5b16&url=https%3A%2F%2Fgraphics.reuters.com%2FUSAELECTION%2FPOLICY%2Fjznvnzmdnvl%2Findex.html

    https://graphics.reuters.com/USA-ELECTION/010091471JC/index.html

    https://graphics.reuters.com/USA-ELECTION-CALENDAR/0100B31F26V/index.html

    https://www.ubs.com/global/en/wealth-management/chief-investment-office/market-insights/regional-outlook/us-elections.html

    https://edition.cnn.com/election/2020/primaries-and-caucuses

    https://www.cnbc.com/elections/

     

    ESTE MATERIAL FOI PREPARADO PELA TALER PARA O USO EXCLUSIVO DO DESTINATÁRIO, NÃO PODENDO SER REPRODUZIDO OU DISTRIBUÍDO POR ESTE A QUALQUER PESSOA SEM EXPRESSA AUTORIZAÇÃO DA TALER. OPINIÕES, ESTIMATIVAS E PREVISÕES APRESENTADAS NESTE MATERIAL CONSTITUEM O NOSSO JULGAMENTO, CONSIDERANDO AS ATUAIS CONDIÇÕES DE MERCADO E AS INFORMAÇÕES AS QUAIS TIVEMOS ACESSO, SUJEITAS A CONSTANTES MUDANÇAS E REVISÕES. APESAR DE TODO O CUIDADO NA COLETA E MANUSEIO DAS INFORMAÇÕES APRESENTADAS, A TALER NÃO SE RESPONSABILIZA PELA PUBLICAÇÃO INCIDENTAL DE INFORMAÇÕES INCORRETAS, NEM TAMPOUCO POR OPERAÇÕES OU DECISÕES DE INVESTIMENTOS TOMADAS COM BASE NESTE MATERIAL. NENHUMA INFORMAÇÃO OU OPINIÃO DEVE SER INTERPRETADA OU TEM A INTENÇÃO DE SER UMA OFERTA DE COMPRA OU VENDA DOS ATIVOS MENCIONADOS. AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE MATERIAL SÃO DE CARÁTER EXCLUSIVAMENTE INFORMATIVO.

     

     

z
Fechar