comportamentos

  • 5 tendências de comportamento para o futuro

    Em evento da Taler, a pesquisadora Iza Dezon destacou como as organizações deveriam considerar o cenário com o foco no novo consumidor

    Um mundo cada vez mais digital, mudanças tecnológicas, avanços científicos, novos hábitos e valores. Será que as marcas e organizações estão preparadas para os consumidores do futuro? A preocupação deveria fazer parte do planejamento de qualquer negócio e setor. Quem não considerar o cenário, certamente perderá espaço no mercado.

    Em live realizada pela Taler, Iza Dezon, pesquisadora de tendências e sócia-fundadora da consultoria DEZON, conversou com a sócia da gestora de patrimônio, Claudia Musto, sobre relevantes transformações da sociedade ao longo do tempo. Parte dessas mudanças foi reforçada com a pandemia.

    Resultado de 10 anos de pesquisa, Iza mapeou cinco principais tendências que fazem parte do projeto “40 dias disruptivos”, uma série de posts no seu Instagram (@izadezon).

    Confira abaixo quais são as cinco tendências e, para assistir à live completa, acesse o vídeo ao final da notícia ou no nosso canal no Youtube.

    1. Preguiça revolucionária

    Com a vida em ritmo acelerado, constante stress e excessos de escolhas e informações, a preguiça revolucionária se manifesta no desejo de aliviar toda tensão. “Nós estamos absolutamente afogados num culto à eficiência, na pressão de ser sempre a melhor versão de nós mesmos o tempo inteiro, da performance constante”, afirma Iza. É uma postura mais radical de diminuir a velocidade, descansar e cultivar o foco.

    1. Menos consumo, mais comunidade

    Para além do consumo, as novas gerações valorizam a construção de experiências coletivas. “É como se estivéssemos num esforço de voltar a aprender a conversar e a trocar. Sair um pouco da lógica de que eu preciso ser um grande executivo para entender que peça sou no todo, como sou útil.” Negócios que gerem impactos positivos, proporcionem experiências e tenham um espírito coletivo tendem a se destacar.

    1. Descansando a mente

    “A gente fazia 5 decisões por dia 20 anos atrás e agora a gente faz uma média de 35 decisões por dia”, diz a pesquisadora. Com tantos estímulos que nos cercam, aprender a relaxar e desconectar a mente é um grande desafio. Segundo Iza, a lição é de deixar a mente viajar, livre de qualquer intenção ou obrigação.

    1. Sonhando com um novo luxo

    A sustentabilidade e a reutilização de materiais (uocycling) chegaram no mercado do luxo.  A chamada geração Z (1995-2000) está mais exigente, comprometida e interessada em gerar menor impacto, destaca a sócia da DEZON. “É possível a gente olhar para o lixo e transformar em luxo”, afirma.

    1. Idade emocional

    A certeza que temos é de que vamos envelhecer. Entretanto, a noção de idade está sendo totalmente revolucionada, avalia Iza. “A idade é muito mais sobre como a gente se sente do que aquilo que a gente aparenta.” Com o aumento da expectativa de vida, passamos a questionar se algo é mais ou menos adequado para determinada idade.

z
Fechar